Como combater Inflação em Portugal em 2023

Blog / Financeiro / Como combater Inflação em Portugal em 2023
10 de Fevereiro de 2023
Como combater Inflação em Portugal em 2023

A subida de preços dos alimentos, da eletricidade, das taxas de juro das instituições bancárias e de praticamente todos os outros bens e serviços face a 2022 tem sido um dos assuntos em grande destaque nos últimos meses. A inflação em 2023 é o grande motivo desta alteração, mas é possível combatê-la com algumas dicas. Veja como!

As idas ao supermercado têm ficado mais caras, a fatura da eletricidade subiu substancialmente, o preço dos combustíveis continua a aumentar…mas o rendimento disponível ao final do mês nem por isso.

Embora o salário mínimo nacional tenha aumentado 55 euros em 2023, com o novo Orçamento do Estado, este aumento não se refletiu no crescimento de todos os restantes salários e, embora seja uma valorização de 7,8%, não cobre o acréscimo de custos causado pela inflação.

Mas o que é a inflação e qual o seu impacto?

A inflação consiste no aumento generalizado dos preços de bens e serviços, que pode ser causado por diferentes cenários, entre os quais o aumento do dinheiro em circulação, o crescimento da procura ou o acréscimo dos custos, como os custos das matérias-primas ou os custos de produção.

Em termos práticos, quando estamos num contexto de inflação, os indivíduos acabam por perder o poder de compra, isto é, uma família passa a conseguir comprar menos coisas do que num período anterior à inflação, com o mesmo dinheiro.

Inflação na Europa e em Portugal

Nos últimos meses, a inflação tem apresentado uma tendência de subida alarmante em toda a Zona Euro. Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), os preços em Portugal aumentaram mais 1% durante o mês de maio de 2022, colocando a taxa de inflação homóloga em 8%, o valor mais alto registado em Portugal nos últimos 30 anos, que tem tornado a economia portuguesa em alarme.

Apesar destes dados, em dezembro de 2022 o Banco Central Europeu (BCE) apontou um crescimento 1,9% da economia dos 19 países da Zona Euro em 2024 e 1,8% em 2025. Nas projeções anteriores, divulgadas em setembro, o BCE antecipava uma inflação de 8,1% em 2022, de 5,5% em 2023 e de 2,3% em 2024.

Já o Banco de Portugal (BDP) prevê um "crescimento contido no primeiro semestre de 2023, num quadro de incerteza global, erosão do poder de compra, aperto das condições financeiras e enfraquecimento da procura externa".

Em contrapartida, a partir da segunda metade de 2023, os cenários prevêem-se mais positivos, com uma esperada aceleração das atividades e uma recuperação gradual do rendimento real das famílias. "Esta diminuição gradual prevista reflete a redução do preço internacional das matérias-primas energéticas, alimentares e outras, bem como menores pressões da procura resultantes de uma política monetária mais restritiva", acrescenta o Banco de Portugal.

Embora existam estas estimativas e projeções financeiras, não se sabe quando este valor irá baixar. Como tal, é importante (e necessário) que as famílias criem maneiras de combater a inflação, de forma a proteger o seu orçamento familiar.

Descubra como pode combater a inflação em Portugal em 2023

1. Planeie e organize as suas despesas

O planeamento é a chave para um conjunto de situações, nomeadamente no que toca a poupar dinheiro.

Sugerimos que aponte todos os seus gastos mensais, incluindo os gastos com a casa (renda e/ou empréstimo, água, luz, televisão, internet), alimentação, roupa, transportes e entre outras despesas.

A ideia passa por avaliar onde está a gastar mais dinheiro mensalmente, de forma a analisar eventuais pontos de poupança, isto é, identificar os gastos que poderá reduzir e/ou evitar para economizar.

Pode registar num documento de Excel ou aproveitar as potencialidades das aplicações móveis existentes para este efeito, como as apps O Meu Orçamento ou Goodbudget.

2. Faça compras conscientes

Antes de comprar algo, é importante comparar os preços em diferentes cadeias de supermercados, empresas de eletricidade, bombas de gasolina e entre outros.

Hoje em dia, muitas das marcas já têm uma presença digital forte, com folhetos disponíveis online ou mesmo lojas online, que permite que os clientes consultem remotamente e comparem os vários preços.

Existem, ainda, algumas plataformas que permitem fazer a comparação direta de preços para certos tipos de produtos, considerando os dados de diferentes marcas. O KuantoKusta.com é uma das ferramentas mais reconhecidas para este efeito.

Nota: Para comparar os preços, é importante verificar o preço por unidade, litro ou quilo para perceber qual é realmente a versão mais barata de cada produto.

Ainda dentro deste tema, adote a regra básica de não ir às compras com fome, de levar sempre uma lista de compras com tudo o que precisa e, caso seja possível, optar por comprar produtos não perecíveis em maiores quantidades, que permitam o seu armazenamento.

3. Evite compras supérfluas

Precisa mesmo daquela mala ou daquela roupa? Gasta grande parte do seu orçamento em tabaco? Então talvez faça sentido avaliar as suas prioridades e rever as suas escolhas.

Pode estar a gastar dinheiro em produtos ou serviços que não lhe acrescentam assim tanto valor e, até, que o prejudicam de alguma forma, enquanto lhe retiram uma grande fatia do seu orçamento familiar mensal ou anual.

4. Tenha um fundo de emergência

Todos corremos o risco de ter algum problema de saúde, uma avaria num eletrodoméstico ou no carro, uma despesa extra com o veterinário…e entre outras urgências não programadas.

Por norma, este tipo de despesas chegam quando menos esperamos e têm um grande impacto no seu orçamento mensal e, até, anual.

Como tal, é essencial que se prepare para este tipo de situações, através de uma poupança antecipada. Em média, é aconselhado poupar 6 salários, de forma a poder prevenir-se da melhor forma para este tipo de situações. Embora possa ser desafiante poupar mensalmente, procure retirar sempre uma parte do seu salário para poupança, por mais pequena que seja.

5. Invista de forma ponderada e informada

Ainda relacionado com a poupança, uma das melhores formas de poupar é através do investimento de parte do seu dinheiro em algumas opções financeiras, visto que podem gerar uma maior rentabilidade e um maior retorno a longo prazo, em comparação com os depósitos a prazo nos Bancos, por exemplo.

Deste modo, procure estudar alguns produtos financeiros e os tipos de investimentos existentes no mercado, de forma a poder analisar detalhadamente  cada um e fazer uma escolha ponderada. Os especialistas aconselham, ainda, a investir em diferentes carteiras.

Nota: É importante ter noção dos riscos associados a cada uma das opções.

Por fim, é fulcral manter-se atento e informado relativamente às alterações e previsões para este ano, procurando ajustar-se da melhor forma.

De igual modo, desconfie e esteja alerta para possíveis armadilhas, uma vez que estas têm tendência a aumentar nestas situações de maior incerteza. Nesse sentido, evite abrir emails e mensagens estranhas, bem como realizar transferências de dinheiro para desconhecidos.

Se tem uma empresa, complementarmente a estas dicas de combate à inflação, espreite também 7 dicas para aumentar o fluxo de caixa da sua empresa.

Uma empresa tem dívida fiscal?

Através do relatório corporativo, poderá consultar o estado da empresa e seu histórico

Categorias

Uma empresa tem ações em tribunal?

Através do relatório corporativo, poderá consultar todo o histórico de ações em tribunal